Busca

Carregando...

quinta-feira, abril 26, 2012

População já pode conhecer o Observatório Nacional sem sair de casa

O campus do Observatório Nacional (ON), a antiga sede da instituição e os laboratórios de astronomia e eletrônica. Estes são apenas alguns dos espaços de uma das instituições de pesquisa mais antigas do país, com quase dois séculos de existência, que já podem ser visitados apenas com um clique.

No final de 2011, o órgão disponibilizou para toda a população uma ferramenta que permite um passeio virtual. Trata-se de uma iniciativa inédita entre as 19 unidades do MCTI. O objetivo é mostrar a riqueza e os detalhes, não somente da arquitetura eclética dos prédios da instituição, quase centenários, como também dos seus instrumentos científicos.

“A iniciativa busca estabelecer uma conexão entre a pesquisa científica e o público e levar o conhecimento científico a toda sociedade por meio de uma linguagem simples e moderna, usando a internet”, resume Carlos Henrique Veiga, chefe da Divisão de Atividades Educacionais do ON.

Pelo site da instituição é possível, por exemplo, visitar a Cúpula do Heliômetro, um instrumento de alta precisão que monitora diariamente as variações da forma e do volume do sol. A biblioteca também já está ao alcance da tela do computador, assim como os prédios de astronomia e geofísica.

Segundo o pesquisador, foram necessários mais de dois anos de estudos para disponibilizar o conteúdo. Mesmo com um projeto bem detalhado voltado para a divulgação da instituição, faltavam recursos e softwares desenvolvidos especificamente para a finalidade de montagens 3D, “de forma a ser amigável e de fácil compreensão ao visitante”.

Desde o lançamento do passeio virtual, no dia 13 de dezembro, até 17 de janeiro, já foram registradas mais de 38 mil visualizações. São cerca de 1.057 visitas diárias, o que demonstra o sucesso da iniciativa. “É a oportunidade do ON democratizar o seu acervo científico para que a população conheça as instalações e o cotidiano da instituição”, reforça Veiga que também é pesquisador da Coordenação de Astronomia e Astrofísica do Observatório.

Vale destacar que os principais espaços do campus, como áreas externas e dependências internas, foram mapeados em fotos de alta definição. Estão disponíveis também os projetos científicos, tais como a Rede Brasileira de Observatórios e Padrões Geofísicos, que utiliza sismógrafos e gravímetros.

Os internautas podem conhecer, ainda, o Serviço da Hora, responsável pela disseminação da Hora Legal Brasileira, gerada a partir de um conjunto de relógios atômicos, além do seu acervo histórico de equipamentos de determinação de sinais horários.

De acordo com Carlos Veiga, espera-se que essa iniciativa venha complementar o conteúdo de informações das aulas ministradas nas escolas e motivem os alunos e a sociedade para a ciência e a compreensão do universo. “O efeito multiplicativo deste trabalho poderá ser conseguido através das atividades que buscam também complementar a capacitação dos professores que raramente têm acesso a uma instituição de pesquisa”, conclui.

O turismo virtual pode ser feito neste link.


Fonte: Abibpti