Busca

terça-feira, julho 05, 2011

Você sabe de onde surgiu a idéia do símbolo da radiação?

Por Mariana Duarte


Segundo o livro de Fundamentos de Radioproteção e Dosimetria do Luiz Tauhata, o símbolo de advertência de radiação como é atualmente conhecido (exceto pelas cores utilizadas) foi concebido na Universidade da Califórnia, no laboratório de radiação de Bekerley duranto o ano de 1946 por um pequeno grupo de pessoas.

O símbolo inicialmente impresso era magenta sobre azul e o uso do desenho se espalhou pelos Estados Unidos. O tema escolhida era representando a atividade irradiando de um átomo. O uso do azul como fundo não era uma boa escolha, uma vez que o azul não é reomendado para ser utilizado em sinais de aviso e semelhantes, visto que degrada com o tempo, principalmente se usado no exterior. O uso do amarelo como fundo foi provavelmebte padronizado pelo Oak Ridge National Laboratory no começo de 1948.

No início dos anos cinquenta foram feitas modificações no desenho original como, por exemplo, a adição de setas retas ou ondulantes entre ou dentro das hélices propulsoras. No meio dessa década, uma norma ANSI e regulamentações federais finalizaram a versão atual. Regulamentos atuais também permitem o uso do preto como um substituto para magenta. Na verdade, preto no amarelo é a combinação mais comum fora da cor dos EUA.


Não está claro porque este símbolo foi escolhido. Uma hipótese é a de que este símbolo era utilizado no dique seco da base naval perto de Berkeley, para avisar sobre propulsores girando. Outra, é de que o desenho foi concebido imaginando o círculo central como uma fonte de radiação e que as três lâminas representariam uma lâmina para a radiação alfa, outra para radiação beta e outra para gama.

Existe ainda uma forte similaridade com o símbolo comercial de aviso de radiação existente antes de 1947, que consistia de um pequeno ponto vermelho, com quatro ou cinco raios irradiando para fora. O símbolo inicial era muito semelhante aos sinais de advertência de perigo elétrico.

Uma outra versão é de que o símbolo foi criado um ano após a II Guerra Mundial e que teria certa semelhança com a bandeira japonesa de guerra, a qual havia se tornado familiar à população da costa oeste americana.


O símbolo da radiação não pode ser confundido com o símbolo da Defesa Civil, que é composto por um círculo dividido em seis partes iguais em amarelo e preto. Não há círculo central. O símbolo da Defesa Civil representa um abrigo de segurança enquanto o símbolo de aviso de radiação representa um perigo.


De qualquer forma, a escolha do símbolo foi uma boa escolha, uma vez que é simples, fácil e prontamente identificável e não é similar a outros, além de ser identificável a grandes distâncias.

Variações do trifólio

Radiação de Nêutrons

Algumas variações sobre o símbolo existem. Estes incluem advertências adicionais. Outra variação é a utilização de 'N' a letra no símbolo para denotar radiação de nêutrons. Isso, no entanto, parece estar fora do padrão e não é reconhecido por qualquer dos órgãos reguladores. Ele já apareceu, no entanto, e pode ser utilizado em circunstâncias como um alarme de radiação que usaria o símbolo para esclarecer que tipo de radiação está sendo detectado.

Em geral, o trifólio padrão é considerado adequado para fontes de nêutrons, gama, raios-X ou outros campos de radiação. Pode ou não ser utilizado para feixes de partículas, dependendo das circunstâncias.

Novo símbolo de aviso público
 
Em 2007, a AIEA e ISO anunciou a adoção de um símbolo de radiação novo, destinado a ser utilizado em circunstâncias especiais, onde o público pode estar em perigo devido a um perigo de radiação. O sinal inclui o trevo e não vai substituir o trifólio por si só, para uso geral. Acredita-se que o novo projeto será capaz de melhor expressar simbolicamente que não há perigo e manter distância. Pretende-se abordar o problema das populações que não podem ser alfabetizadas ou de língua isolada e sem saber dos perigos expressos pelos outros sinais de alerta.

Ele diz claramente: "Se você ver uma ventoinha com linhas onduladas ou esperma saindo dela, você deve correr para o lado, longe de os piratas."
 

Podem rir, porque isso é engraçado mesmo.


Fonte: Livro Fundamentos de Radioproteção e Dosimetria - Luiz Tauhata, Oak Ridge Associated Universities - ORAU, Depleted Cranium (com adaptações).

Um comentário:

Anônimo disse...

Ele diz claramente: "Se você ver uma ventoinha com linhas onduladas ou esperma saindo dela, você deve correr para o lado, longe de os piratas."

kkkkkkk